quinta-feira, 17 de maio de 2007

Incompreensão





Um dia ouvindo uma amiga contar de seu lindo casamento, sua linda casa, seus lindos filhos, indaguei: “- Mas você é feliz?”
Ela não respondeu nem que sim nem que não, fez um discurso a la Hitler, batendo no peito e dizendo-me insultos, o menos cabeludo foi: “-Você tem é inveja, pois nunca viveu um grande amor!”
É realmente não vivi um grande amor, vivi vários e continuo vivendo. Meu amor maior é ególatra, hedonista e mesquinho, não sei compartilhar e ademais quem se ama acima de outros não tem rivais, não se sente ameaçado.
A incompreensão desse sentimento me desola, tenho pena de quem não consegue se amar, quem não se ama, não consegue amar o outro na grandeza maior, na abstração de ser por ser, sem amarras, livre de sobras e preconceitos chucros.
Eu sou feliz e livre, mesmo na incompreensão alheia, faço o que me convém, tenho meus medos, minhas fraquezas, meus vícios, mas quem não os têm, que atire a primeira pedra!
Minha amiga eu não sei, mas acredito que seja mais hipócrita ou mais tola do que eu, quem sabe?

12 comentários:

Marla de Queiroz disse...

Quem não se basta com o convencional das coisas, faz poesia.
Quem se basta, conta vantagens vazias de satisfação.

Sou tão igual a vc nesse aspecto.

Alexandre disse...

Mais um blog menina?
O amor é que nos une.
O amor é uma coisa explendorosa.
Todos precisamos de amor.

fabio jardim disse...

raciocínio agudo!

Wagner Marques disse...

concordo com você, de "a" a "z"!
é isso mesmo, o amor não obedece a principios objetivos...

abraço.

Marcelo disse...

Amigos

Roubaram de novo as senhas de meu Orkut, Blog e Gmail.

Realmente não entendo porque essa gente decidiu me perseguir mas, dessa vez, preferi fazer outro Blog.
Peço desculpas à todos vocês pelo trastorno.

Esse é o novo link de meu Blog.
Grato pela paciência,

o alquimista disse...

Cada um é como cada qual e ninguém como ividentemente...


Doce beijo

Tiago disse...

cada um se vira como fode, né?

david santos disse...

Estou solidário com o povo brasileiro neste momento tão TRÁGICO. A vida só nos permite dois termos: a felicidade ou a infelicidade. Desta vez, quem mandou foi a segunda. Que a vida continue feliz para os que ficam.

David Santos

Carlos Rímolo disse...

Querida amiga Larissa,

Muitas pessoas procuram o "comodismo social" se satisfazendo materialmente! Nós temos que buscar a felicidade! Aquela que nos tocam a alma e aflora no coração!Sermos libertos e felizes!
Parabéns, por isso que a elogio, pois sou um seu fã confesso!
Um beijão deste admirador,
Carlos Rímolo-Macaé-RJ-18/05/2008.
carlos.rimolo@gmail.com

cacos meus botoes disse...

Larissa,
Obrigada por me corrigir no post sobre Paulo Cezar Pinheiro. Publiquei sua correção. Obrigada, também, pela visita. Abraço, c.

fred disse...

quem se ama acima de outros não tem rivais, não se sente ameaçado.

Disse tudo.

Jorge Luiz Mendonça Martinez disse...

aprender o amor próprio, antes do amor ao próximo. É algo para oferecer.