sexta-feira, 11 de maio de 2007

Verdades imperfeitas


Procuravam as verdades imperfeitas, um nos olhos do outro. Mas só se viam mentindo, refletidos em espelhos da alma.
Peregrinos nesse caminhar incerto, tentando se encontrar noutro.
Suas farpas e espinhos eram agudos e certeiros, não podiam ver que estavam perdidos e talvez jamais se encontrassem.
Quem sabe não quisessem mesmo se encontrar, não assumissem que a liberdade é obtusa ao extremo e seus corações fracos demais?
Quem sabe não quisessem arcar com a consequências de suas escolhas mal feitas e destilassem seu veneno de impossibilidades um no outro?
Quem sabe?
O certo é que estavam juntos, e que se odiavam mutuamente, mas nenhum se rendia ao abandono.
Antes mal acompanhado que só!

Um comentário:

aluisio martins disse...

concordo contigo: até má companhia é bom para se crescer na vida.
Vai be. Sempre foi, né?