sexta-feira, 16 de outubro de 2009

cimo

sou querer empírico
responsabilizada de ser
resvalando-me na inércia
de não ser

tento abrir as portas
que me afastam de mim
mesmo condenada
à liberdade insólita
do não poder
cimo

épica e lenta descoberta
corrompida pelo ego
qual Sísifo interno-me
eterna jornada
no subir e descer
da pedra






pintura de Modigliani

Um comentário:

Levi Alexandre disse...

Impressionante e profundo, "tento abrir as portas que me afastam de mim."

é a fulga nossa de cada dia.

Parabens!